Conheça a dieta carnívora como cura

O vício em comida funciona como os outros vícios. Isso explica porque algumas pessoas não conseguem se controlar em torno de certos alimentos, não importa o quanto tentem.

Os principais sintomas do vício em comida são o desejo por alimentos não saudáveis ​​sem sentir fome e a incapacidade de resistir à vontade de comer esses alimentos.

Pense na última vez em que você comeu tanto que se sentiu absolutamente cheio(a), mas não conseguia parar de comer. Você estava devorando uma pizza, um chocolate ou um pacote de bolachas ou estava comendo uma caixa de ovos cozidos de uma vez ou meia dúzia de bifes de fígado?

Há razões bioquímicas pelas quais algumas pessoas perdem o controle sobre a comida. Este comportamento tem sido repetidamente associado a alimentos processados, especialmente aqueles com alto teor de açúcar e gordura combinados.

Em raros casos a pessoa com compulsão não consegue ter controle nem mesmo sobre alimentos que são comida de verdade, mas na maioria o descompensamento com a comida é reflexo de uma dieta baixa em proteína e alta em carboidratos refinados.

Os alimentos processados e ultraprocessados foram projetados para serem hiper palatáveis, fazendo com que você coma mais e mais. Isso não costuma acontecer com carnes, ovos e vísceras, por exemplo, que são comidas de verdade.

Eles também contêm grandes quantidades de calorias e causam desequilíbrios significativos de açúcar no sangue. Esses são fatores conhecidos que podem causar desejos por comida.

O que é a dieta carnívora

A dieta carnívora é uma dieta de baixo ou “zero” carboidratos, sendo uma variação da dieta cetogênica clássica.

No estilo alimentar carnívoro, entram em todas as refeições apenas alimentos de origem animal, como carnes, vísceras, órgãos, frutos do mar, gorduras animais (banha, sebo, manteiga), ovos, ossos, iogurtes naturais e queijos.


Porque e como a carnívora ajuda

Fazer uma dieta que consiste principalmente de alimentos reais, com um único ingrediente, pode ajudar a reduzir a probabilidade de desenvolver um vício alimentar.

A dieta carnívora remove completamente açúcar e junkfood. Esses alimentos geralmente contêm alguma combinação de gordura e açúcar, ou gordura e sal, que acionam os centros de prazer do cérebro, fazendo com que nos sintamos mais calmos, contentes ou até um pouco eufóricos.

O vício em comida não é causado por falta de força de vontade, mas acredita-se que seja causado por um sinal de dopamina que afeta a bioquímica do cérebro.

Comer junkfood processado libera grandes quantidades de substâncias químicas que fazem você se sentir bem, em comparação com alimentos não processados. Isso produz uma recompensa muito mais poderosa no cérebro. (*,*,*)

O cérebro então busca mais recompensa, causando ânsias por esses alimentos hiper-recompensadores. Isso pode levar a um ciclo vicioso chamado de compulsão alimentar ou dependência alimentar. (*,*)

Nada de junkfood

Em uma dieta carnívora, não há consumo de alimentos processados! A sugestão é que você identifique os alimentos não saudáveis ​​que causam excessos; mantenha-os fora de casa ou longe da vista e torne as opções saudáveis ​​facilmente acessíveis.

Uma vez tomada a decisão de nunca mais comer esses alimentos, evitá-los pode se tornar mais fácil, pois a necessidade de justificar comê-los - ou não comê-los - é eliminada.

Comece eliminando comida processada e alimentos conhecidos por serem viciantes, tais como: pizza, chocolate, chips, cookies, sorvete, batatas fritas, refrigerante, bolos, pipoca, cereais matinais e muffins e troque-os por alternativas mais saudáveis.

Os alimentos menos viciantes são todos os alimentos inteiros não processados. Então abastecer sua despensa com alimentos saudáveis como carnes, queijos, iogurte, ovos e vísceras vai melhorar sua dieta e reduzir o risco de comer excessivamente alimentos não saudáveis. Então, quando você tiver vontade de comer, não vai comer besteiras.

Os alimentos de origem animal são muito saciantes e provavelmente não farão com que você coma demais.

Caso você more com outras pessoas, vale a pena conversar abertamente com todos e pedir que não deixem à mostra alimentos processados até que você já tenha superado a relação conturbada com a comida.

Consuma proteínas em todas as refeições

Alimentos diferentes podem ter efeitos diferentes no apetite.

Incluir proteínas em todas as refeições pode ajudar a controlar sua fome e te fazer se sentir mais satisfeito(a) ao longo do dia, evitando que você se preocupe com a comida e queira comer lanches noturnos.

Um estudo descobriu que comer refeições frequentes com alto teor de proteína reduziu os desejos em 60% e cortou o desejo de comer à noite pela metade. (*)

Uma ingestão mais elevada de proteínas aumenta os níveis dos hormônios da saciedade (redutores do apetite) GLP-1, peptídeo YY e colecistocinina, enquanto reduz seus níveis do hormônio da fome grelina (*,*,*).

Como a proteína é conhecida por mantê-lo satisfeito por mais tempo, aumentar a ingestão de alimentos ricos em proteínas pode mantê-lo(a) satisfeito(a) e ajudar a controlar o apetite.

Inclua pelo menos uma boa fonte de proteína - como carne, ovos e vísceras em cada refeição e desfrute de lanches ricos em proteínas como queijos e iogurte natural quando sentir fome para manter os desejos sob controle.

Coma gorduras saudáveis

Escolher alimentos ricos em gorduras saudáveis como carnes, queijos e ovos ​​pode ajudá-lo(a) a comer menos.

Vários estudos mostraram que os adultos que consomem dietas com alto teor de gordura saudável e baixo teor de carboidratos têm menos fome de 3 a 4 horas após as refeições e perdem mais peso com o tempo, em comparação com pessoas que consomem dietas ricas em carboidratos e com baixo teor de gordura. (*,*)

Adicionar gorduras saudáveis de origem animal à sua dieta pode ajudá-lo a se sentir mais satisfeito após as refeições e reduzir os excessos.

A dieta carnívora estabiliza seus níveis de açúcar no sangue

Comer pão branco, biscoitos, doces e outros carboidratos com altos índices glicêmicos fará com que os níveis de açúcar no sangue aumentem e caiam rapidamente.

Esta rápida flutuação de açúcar no sangue mostrou promover a fome e pode levar a excessos. (*)

A escolha de alimentos de origem animal, tais como carnes, ovos, laticínios e vísceras ajudará a prevenir picos de açúcar no sangue e pode reduzir a ingestão excessiva de alimentos.

Água é a bebida incentivada na dieta

Beber muita água ao longo do dia é uma maneira simples, mas eficaz, de controlar os desejos e parar de comer demais.

Na verdade, estudos mostram que o aumento da ingestão de água pode estar relacionado à diminuição da fome e da ingestão de calorias.

Por exemplo, um estudo com 24 adultos mais velhos descobriu que beber 500 ml de água antes de comer uma refeição diminuiu o número de calorias consumidas em 13%, em comparação com um grupo de controle. (*)

Evite bebidas açucaradas como sucos e refrigerantes, pois têm sido associados a um risco aumentado de diabetes e outras doenças e podem estar associados a comer em excesso. Em vez disso, beba água.

A quantidade de água que cada pessoa deve beber diariamente depende de vários fatores. Assim, é melhor ouvir o seu corpo e beber quando sentir sede para garantir que está bem hidratado.

Se precisar, procure ajuda

A comida às vezes é simplesmente um veículo para representar scripts emocionais emaranhados.

Em alguns casos, as pessoas comem demais por um hábito bobo, como sempre se sentar com um saco de batatas chips em frente à TV à noite. Mas, muitas vezes, é o resultado de problemas emocionais subjacentes.

Embora as estratégias acima possam ser úteis, muitas vezes é necessário um plano de tratamento elaborado por um profissional para ajudar a superar a compulsão alimentar.

Procure ajuda pois pode ser difícil parar de comer demais por conta própria, especialmente se houver problemas emocionais envolvidos.

Conclusão

Comer demais pode ser um hábito difícil de quebrar, mas você consegue! Use essas dicas como um ponto de partida para ajudar a estabelecer uma rotina nova e saudável e certifique-se de procurar ajuda profissional se precisar.