Sempre queimei ao me expor ao sol. Enquanto via pessoas na praia e na piscina ficando bronzeadas, a vida toda minha pele teve dois tons principais - branco pálido ou vermelho lagosta. 

Mas isso foi até eu descobrir que a minha dieta antiga era a razão pela qual eu me queimava e ao adotar uma dieta rica em alimentos de origem animal, como num passe de mágica desenvolvi tolerância ao sol.

Comecei a me expor ao sol e a notar que ao invés de queimar como antes agora eu ficava bronzeada, sem nenhuma ardência ou descascamento. 

Fiquei surpresa e pensei que estava louca! Como é que agora eu estava imune ao sol? Qual seria a explicação?

A dieta é uma parte frequentemente esquecida. A  verdade é que a comida afeta mais do que o nosso peso e níveis de energia. O que você come ajuda seu corpo a fazer o que deveria, como evitar queimaduras de sol dolorosas!

Foi assim que me deparei com o conceito de que podemos proteger a pele de dentro para fora, concentrando na ingestão de certos nutrientes, já que podem beneficiar a pele e podem fazer parte de uma estratégia para tomar sol sem efeitos negativas.

Preparando a sua pele para o verão

Conforme o tempo mais quente se aproxima, é hora de começar a pensar em separar as roupas leves, maiôs e sungas. Essa também é a sua deixa para começar a preparar a pele para o sol.

Por que não esperar até o primeiro dia de praia? Porque agora você pode fazer como eu, que “como meu protetor solar”  em vez de apenas usá-lo.

A exposição ao sol não é um problema (é na verdade um benefício) se você alimentar sua pele com os nutrientes certos para prepará-la para a exposição ao sol.

O sol não é o problema, por isso adoto uma abordagem diferente. Consigo uma exposição segura ao sol e protejo minha pele de dentro para fora. (E, claro, cubro-me ou saio do sol quando minha pele estiver farta!)

Benefícios para a saúde do sol

Demonizamos o  sol quando, na verdade, não é o inimigo. A terra e os humanos, plantas e animais que vivem nela precisam da luz do sol para sobreviver.

Por milhões de anos, os humanos não tiveram protetor solar e vivemos ao ar livre, passando incontáveis ​​horas com poucas roupas sob um forte sol tropical.

Ao longo de mais de 3 milhões de anos de evolução humana, desenvolvemos uma maneira de proteger nossa pele da radiação solar (muito antes da década de 1940 e dos primeiros filtros solares).

A quantidade de exposição ao sol que recebemos na cultura moderna de hoje é lamentavelmente inadequada.

A menos que você trabalhe ao ar livre, a probabilidade é quase certa de que você não está recebendo luz do sol suficiente para otimizar sua saúde e longevidade.

O sol é a nossa fonte primária de vitamina D, produzida na pele após a exposição à ele. A vitamina D é crucial para a imunidade , saúde mental, produção de hormônios, saúde óssea e sono e embora possamos receber vitamina D dos alimentos também, o sol é uma das maneiras mais simples e gratuitas de obtê-la.

A luz solar também ajuda a regular nossos ritmos circadianos, melhorar nosso humor e cognição e até mesmo reduzir nosso risco de certos tipos de câncer.

Por centenas de milhares de anos de evolução humana, não poderíamos evitar a exposição ao sol como nos dias de hoje. Estávamos expostos ao sol quando caçávamos, quando nos reuníamos, ao pescar, cavar, lutar, escalar e explorar. 

Estamos adaptados ao sol,  assim como a maioria das outras formas de vida na Terra. Não somos apenas capazes de suportar o sol, mas podemos obter benefícios vitais de nossa exposição a ele. Nós precisamos do sol de forma direta.

Por que o sol não é o inimigo

Parece haver uma ideia subjacente de que exposição ao sol = câncer de pele e que filtro solar = proteção contra câncer de pele. Mas a pesquisa não confirma isso. Na verdade, pode sugerir o contrário. Pense nisto: as taxas de câncer de pele estão aumentando apesar do uso maior de protetor solar e da redução da exposição ao sol nas últimas décadas.

A ciência apoia essa abordagem. Uma revisão de 2016 na revista Dermato-Endocrinology concluiu que, embora a prevenção do câncer de pele seja importante, ter medo do sol não é uma boa resposta. (*) Eles concluíram que:

“Esta revisão considera os estudos que mostraram uma ampla gama de benefícios à saúde da exposição ao sol / UV. Esses benefícios incluem, entre outros, vários tipos de câncer, doenças cardiovasculares, doença de Alzheimer / demência, miopia e degeneração macular, diabetes e esclerose múltipla. A mensagem de evitar o sol deve ser alterada para a aceitação da exposição ao sol sem queimadura suficiente para atingir a concentração sérica de 25 (OH) D de 30 ng / mL ou mais na estação ensolarada e os benefícios gerais da exposição aos raios ultravioleta além daqueles da vitamina D”. 

É por isso que não evito o sol, mas faço questão de me expor ao sol todos os dias de forma segura.

Como tomar sol e evitar queimaduras?

O maior segredo está na dieta! 

Você pode se perguntar, enquanto assiste documentários ou viaja, por que as culturas tradicionais nunca parecem ter queimaduras de sol. Muito disso tem a ver com uma dieta composta de alimentos reais. Essas culturas não estão expostas aos alimentos tóxicos, mas atraentes, aos quais nos acostumamos. Eles comem comida de verdade!

A queimadura solar é um tipo de inflamação. Se nossa dieta contém pequenas quantidades de alimentos antiinflamatórios, é mais fácil nos queimarmos.

A dieta tem um impacto tremendo no corpo quando se trata de inflamação. Aumentar a ingestão de alimentos antiinflamatórios não só aumentará sua resistência aos raios ultravioleta, mas também melhorará a saúde geral.

Como eu “como meu protetor solar” 

Assim como uma dieta pobre tem um efeito negativo na pele e na saúde em geral, uma dieta alimentar nutritiva pode oferecer proteção contra vários problemas de saúde, incluindo os relacionados ao sol. Felizmente, os fatores de dieta e estilo de vida que são bons para a pele também trazem grandes benefícios para a saúde geral.

Veja como começar a preparar a pele para uma exposição segura ao sol neste verão:

O que você deve evitar: alimentos processados, óleos vegetais, açúcares. 

As queimaduras solares são uma resposta à inflamação, portanto, evitar alimentos que aumentam a inflamação, grãos processados, açúcares refinados e óleos vegetais processados, ajudará o corpo a reagir à inflamação natural.

O que você deve priorizar: alimentos ricos em ômega 3, fontes de proteína de origem animal e alimentos ricos em gordura saturada. (*)

Como os ômega-3 ajudam a prevenir a inflamação e interromper os processos inflamatórios em andamento, eles são importantes para reduzir a tendência às queimaduras solares. Invista no consumo de peixes como salmão, sardinha, arenque, atum, cavala.

Com relação à proteína, dado que é um dos blocos de construção do tecido da pele, não é surpresa que uma ingestão adequada desse macronutriente seja essencial para uma pele saudável. Fontes animais de proteína como frango, carne bovina, porco, peixe, ovos e laticínios são frequentemente chamadas de “proteínas completas”, porque contêm todos os aminoácidos essenciais.

Nada de temer a gordura da carne, gema do ovo e a manteiga! Consumir gordura saturada evita pele seca, inflamação e envelhecimento prematuro. Nossas membranas celulares são feitas de cerca de 50% de gordura saturada, portanto, comer as gorduras de que somos feitos as mantém saudáveis.

As gorduras saturadas ajudam literalmente a resposta inflamatória natural de seu corpo (que é tudo o que uma queimadura de sol é), então comer esses alimentos ajudará a prevenir queimaduras solares.

Uma dieta rica em alimentos de origem animal fornece tudo o que seu corpo precisa, resultando em células mais saudáveis. Além disso, se o seu corpo não está lutando contra uma grande quantidade de inflamação crônica, terá mais recursos para lidar com a sua exposição solar. 

Exponha-se de forma gradual ao sol

O segredo é a exposição gradual ao sol para que você construa lentamente a tolerância da sua pele da maneira mais segura possível.

Pegue um pouco de sol todos os dias que puder. Você não só obterá os enormes benefícios associados à luz solar, como também terá menos probabilidade de se queimar.

Adote uma proteção solar natural

Caso vá passar muito tempo na praia ou na piscina, sua primeira (e melhor) opção é se cobrir ou ficar na sombra, se possível. Um chapéu e uma camisa são reutilizáveis, não contêm produtos químicos prejudiciais ao corpo e fazem um ótimo trabalho de proteção contra o excesso de exposição ao sol.

Conclusão

Há muitas maneiras de aproveitarmos o sol com responsabilidade, incluindo o que comemos e como interagimos com o sol.

Evite queimaduras solares de dentro para fora e de fora para dentro com suporte nutricional. Tome essas medidas um ou dois meses antes do início da temporada de praia e condicione sua pele para amar o sol!

Nota: Isso é o que funcionou para mim e não é de forma alguma um conselho médico ou dermatológico. Faça sua própria pesquisa, conheça sua própria pele e descubra o que funciona melhor para você.