Introdução

Não importa o que você faça, é impossível perder gordura se você não tiver um déficit calórico/energético. Em outras palavras, seu corpo deve estar usando mais energia do que você gasta.

A questão é que, mesmo sem necessidade e qualquer tipo de supervisão, muitas pessoas se aventuram em dietas mais agressivas.

Sim, é verdade que uma dieta agressiva te leva a emagrecer de forma mais acelerada, mas não é só pra isso que devemos olhar. Afinal, todos nós já experimentamos ou nos deparamos com muitas pessoas perdendo uma quantidade massiva de peso e recuperando dali a pouco.

Para evitar que isso aconteça com você, saiba porque você não deve ter pressa para emagrecer com a dieta carnívora.

Não tenha pressa para emagrecer

Os melhores candidatos para dietas mais agressivas, são os que estão perigosamente acima do peso e esse tipo de dieta depende de supervisão profissional, pois apesar de proporcionar o emagrecimento com maior velocidade, existem diversas questões a serem levadas em consideração.

Fiz essa distinção, de pessoas que estão perigosamente acima do peso, porque não é o cenário de todas as pessoas que estão iniciando uma dieta. 

Muitas mulheres e homens que entram em contato comigo, já estão magros, mas querendo melhorar a composição corporal, já perderam um tanto de peso, mas querem continuar evoluindo ou estão acima do peso, mas bem longe de uma obesidade grau III.

É importante levar isso em consideração, porque quanto mais severo o déficit em indivíduos já magros, maior o risco de catabolismo muscular.  Ou seja, é prudente considerar que quanto mais magro um indivíduo é e/ou quanto mais importância é atribuída ao desempenho atlético, mais gradual deve ser a taxa de perda de peso e, portanto, mais moderado deve ser o déficit.

Idealmente nenhuma dieta deve levar à perda muscular. À medida que você perde músculos, seu corpo não apenas começa a assumir aquela “aparência de gordura magra” amorfa, mas  seu metabolismo fica mais lento, sua saúde óssea diminui e  seu risco de doenças aumenta.

Privação perigosa de nutrientes especiais

Com um baixo consumo calórico (as dietas de baixa caloria podem ser consideradas para mulheres entre 1.000 a 1.200 calorias e homens entre 1.200 a 1.600 calorias), você não apenas limita a quantidade de calorias que seu corpo recebe - você também estará se privando de nutrientes essenciais.

Para garantir a ingestão diária recomendada de vitaminas e minerais, precisamos ter mais cuidado com a quantidade e qualidade dos alimentos durante uma intervenção nutricional. (*)

É por isso que esse tipo de dieta é indicada especialmente para aqueles com um alto percentual de gordura corporal (especialmente se o peso estiver causando problemas de saúde) e devem ser com supervisão e em muitos casos, com uso de suplementos. 

Quando você está em uma dieta de muito baixa caloria, a única maneira de chegar perto da quantidade recomendada de nutrientes é com suplementação cautelosa.

Efeito negativo no treinamento 

Além disso, as dietas com grandes déficits têm maior impacto no treinamento e na capacidade de treinar. Na verdade, o excesso de atividade com um grande déficit calórico pode causar mais problemas do que resolver e, geralmente, o treinamento deve ser drasticamente reduzido durante a dieta. 

Com um déficit calórico severo, você terá menos energia para treinar e, sem uma intensidade suficiente de treino, a sua capacidade de manter ou aumentar a sua massa muscular ficará prejudicada.

Menor flexibilidade na escolha dos alimentos

Menos comida também significa que você precisa incluir mais restrições alimentares. Portanto, você, por natureza, terá menos flexibilidade com suas escolhas alimentares. 

Efeitos negativos comumente enfrentados

É muito comum que ao reduzir drasticamente a ingestão calórica as pessoas experimentem um comprometimento no desempenho do treinamento, menor recuperação, falta de concentração, problemas menstruais, náuseas, cálculos biliares, distúrbios visuais, humor piorado, baixa energia, compulsões, dores de cabeça, constipação, ataques de fome, desaparecimento da libido, sono desregulado, pele, cabelo e unhas fracas, redução do funcionamento da tireóide, redução do metabolismo, níveis aumentados de cortisol etc. 

Ou seja, também estará no caminho certo para ganhar novamente todo o peso perdido.

Chances de causar episódios de compulsão alimentar

Uma pesquisa feita em mulheres obesas mostrou que 30% das mulheres que inicialmente não eram comedoras compulsivas começaram a comer compulsivamente após o término do programa de dieta de muito baixa caloria.

Como essa forma de alimentação é bastante restritiva, é muito provável que você coma compulsivamente após não aguentar mais prosseguir seguindo as restrições, o que levará de volta ao ganho de peso após interromper a dieta (*).

Não te ensinam a ter uma boa relação com a comida

Essas dietas não ensinam nada sobre alimentação limpa e saudável, o que significa que é mais provável que você volte a ter hábitos alimentares pouco saudáveis, que também levam ao ganho de peso.

Costuma ser desnecessário e é contraproducente

​​Isso não quer dizer que todos os déficits calóricos sejam perigosos, mas colocá-los no limite é frequentemente desnecessário e contraproducente, já que embora essas dietas sejam eficazes em causar perda de peso inicial, seus resultados em longo prazo não costumam ser satisfatórios.

É muito preferível que você se alimente de uma forma que não comprometa o seu desempenho do treinamento, a recuperação, o humor, a energia e a capacidade de evitar colapsos e compulsões etc. 

Não existem soluções mágicas

Vejo tantos anúncios que dizem: "Você vai perder 10 quilos em 2 semanas", enquanto propõe refeições de 500 calorias. Não, obrigada. 

Leva tempo para perder gordura corporal com segurança e, infelizmente, muitos sempre vão optar por uma opção mais rápida com consequências ruins.

Ao invés de comer pouco e viver forçando jejuns

Você terá muito mais sucesso se, ao invés de pensar em viver comendo pouco e forçando jejuns intermináveis, se comprometer:

  • comer bem em todas as refeições que fizer
  • construir músculos através do treinamento com pesos 
  • fazer mais exercícios cardiovasculares
  • tornar-se mais ativo fisicamente (não apenas por meio de exercícios)
  • dormir o suficiente
  • manter-se consistente

Sim, pode levar um pouco mais de tempo, mas ao menos seus resultados serão duradouros. 

Conclusão

Lembre-se que dietas extremas produzem resultados extremos - mas nem sempre da maneira que você gostaria.

Escolha uma abordagem / filosofia que você possa se ver seguindo por muito tempo. Anos. Idealmente para toda a vida.

Uma dieta perfeita por 4 semanas antes de suas férias, seguida por um retorno à alimentação “normal”, é uma receita para o desastre.

Você tem que jogar o jogo longo. Faça de sua jornada "uma maratona" e você cruzará a linha como um campeão. Faça de sua jornada "um sprint" e você vai direto para a beira de um penhasco.

Portanto, ao invés de pensar em comer o mínimo que puder para alcançar o emagrecimento, você precisa mudar seu estilo de vida, comprometendo-se com uma alimentação saudável, atividade física regular e hábitos sadios no geral.

No items found.
No items found.
No items found.