Introdução

Em uma abordagem carnívora, milhares de pessoas de todo o mundo, reduziram ou até reverteram os sintomas de diabetes, problemas digestivos, depressão, distúrbios mentais, doenças de pele, doenças autoimunes, dores nas articulações, desequilíbrios hormonais, doença de lyme, fadiga crônica, crescimento excessivo de candida, dores, inflamação, etc.

Se você decidiu que é hora de começar, eu diria que é uma boa seguir as 7 regras abaixo. Isso vai garantir que você tenha sucesso e que não seja mais uma das dezenas de dietas que você já testou, mas abandonou ao longo da vida.

1. Viva um dia de cada vez

Eu costumo dizer que dieta não é prisão, é uma ponte, que te leva de onde você está, para onde gostaria de chegar. Então lembre-se, você não está se comprometendo com uma sentença de prisão perpétua ao iniciar uma dieta carnívora. 

Algumas pessoas vão adotar a dieta pra sempre, não se importando de ficarem sem frutas e vegetais. Enquanto isso, outras vão preferir uma abordagem mais baseada em animais (algo como 80% animais e 20% plantas) ou manter a dieta carnívora e abrir pequenas exceções para comer plantas. 

Ou seja, o principal é descobrir o que funciona melhor para você e para que isso ocorra, não tenha medo de testar as possibilidades. Eu tenho absoluta convicção que de meramente consumir mais alimentos de origem animal na sua dieta, você já será capaz de colher inúmeros resultados.

Portanto, aproveite a experiência de comer mais carne, ovos, vísceras, laticínios e veja como você se sai! 

Cada dia é uma nova chance de aprender e experimentar. Esta experiência deve ser sobre você descobrir o que é necessário para se sentir bem e funcionar da melhor maneira possível. 

2. Aproveite a jornada

Eu posso apostar que muitas vezes você comeu coisas que não gostava, na esperança de que "fizessem bem" ou porque alguém disse que você deveria comê-las.

Eu por exemplo, nunca gostei de vegetais, mas me forçava a colocá-los vez ou outra no prato e fazia de tudo para mascarar o gosto amargo deles! Também não era muito fã de frutas, mas comprava uma salada de frutas de vez em quando, para "cumprir" a cartilha!

A razão de eu ter me dado tão bem em uma dieta carnívora, é que eu realmente gosto do que eu como. Eu estou 100% feliz com a dieta e sei que essa alegria vai continuar durando, porque se você não gosta do que come, nunca vai ficar com nenhuma dieta por muito tempo. 

Então a minha dica é, aproveite a jornada para descobrir o que você gosta de comer e além disso, aprender a cozinhar carnes e também receitas.

Quando você está começando, a variedade pode ser sua amiga, então experimente tudo que você acha que deva experimentar. Cortes que você nunca preparou, animais que você nunca consumiu, queijos que nunca provou, receitas que são feitas com alimentos de origem animal… e até mesmo vísceras que nunca comeu!

Existem milhares de cortes e tipos diferentes de produtos de origem animal para você desfrutar e se você realmente fizer isso, eu duvido que vá achar que a dieta é "restritiva" ou "sem graça". 

Descubra o que você gosta e não gosta. Se você adora bife de lombo e quer comê-lo trinta dias seguidos, vá em frente; não há nada de errado em fazer isso. Você gosta de carnes de órgãos? Coma elas!  

Se você gosta de temperar sua carne, experimente. Quer adicionar um pouco de queijo por cima do hambúrguer? Por favor, faça isso. 

A transição para a dieta deve ser uma experiência agradável e isso certamente vai acontecer se você estiver explorando novos sabores, descobrindo novas receitas, testando novas combinações e se permitindo conhecer uma dieta "nova", mas ao mesmo tempo tão ancestral, que já mudou a vida de milhares de pessoas em todo o mundo.

3. Não coma pouco de propósito

A grande maioria dos problemas que ocorrem com a transição é resultado de não comer o suficiente. Tanto isso é verdade, que eu inclusive escrevi um artigo sobre sintomas de que você está comendo muito pouco em uma dieta carnívora.

Muitas pessoas vêm de um histórico de restrição severa de calorias e esse hábito costuma ser difícil de quebrar. Mas acredite em mim, a sua vida se tornará infinitamente mais fácil a partir do momento em que você focar na nutrição, ao invés da restrição.

Quando você está com fome, você deve comer! No entanto, pense nisso no contexto de qualquer outra função fisiológica. Quando você precisa de ar, você respira. É tão simples quanto isso, e comer para saciar a fome pode ser a mesma coisa. Quando você está comendo uma dieta apropriada para a espécie, você descobrirá que, uma vez que você se torne saudável, seu apetite se tornará muito bem regulado. 

Enquanto se adapta à dieta, coma até estar cheio e repita quantas vezes forem necessárias para se manter longe das porcarias. 

Sim, talvez isso faça com que você mantenha o seu peso ou perca ele mais lentamente, mas acredite em mim, se você tentar limitar sua ingestão, tentando comer o mínimo possível, você rapidamente se tornará vítima de velhos hábitos e desejos. 

É um mundo difícil lá fora e como a tentação está em toda parte; poucas pessoas têm disciplina mental para resistir quando a fisiologia não é favorável. Faça com que as coisas funcionem a seu favor e mantenha-se constantemente saciado de carne. 

Assim ficará muito mais fácil dizer não para coisas gostosas, porém prejudiciais para a saúde e você terá muito mais facilidade de encarar uma mudança definitiva no seu estilo alimentar.

4. Não faça comparações

Muitas dietas morrem pelas comparações. Isso porque as pessoas pensam "estou fazendo tudo certo, mas não estou vendo resultados". 

Talvez elas até estejam, mas o "steak do vizinho" sempre parece ser maior e mais suculento.

Pare de se comparar! Seus resultados são seus resultados e podem ser diferentes dos de outra pessoa. Comparar-se constantemente com os outros é um caminho rápido para a miséria. 

Mesmo se dois irmãos gêmeos estivessem começando a dieta ao mesmo tempo, você pode apostar que eles não teriam o mesmo resultado. 

Então seja objetivo sobre quem você é, por onde você está começando e o que é importante para você. 

Sua fisiologia é dinâmica e exclusiva para seu ambiente. Sim, somos todos humanos e compartilhamos a mesma fisiologia básica. Embora existam muitas semelhanças, muitas variáveis ​​influenciam o que faz de você quem você é. 

Além disso, não se prenda exclusivamente à imagem corporal. Os seres humanos não evoluíram como modelos fitness ou fisiculturistas, e o desejo de ter uma determinada aparência nos deu uma visão distorcida do que pode ser ótimo no que diz respeito à saúde. 

Se você tem objetivos principalmente estéticos, uma dieta carnívora pode ser uma ferramenta para chegar onde você deseja, mas eu recomendo que em vez de focar no aspecto físico externo, você se concentre no objetivo mais simples de restaurar a saúde normal - algo que poucas pessoas inclusive possuem hoje em dia. 

Reflita por que você está considerando uma mudança na dieta e o que você espera alcançar tanto a curto quanto a longo prazo, e mantenha esses objetivos pessoais em mente enquanto você segue em sua jornada.

5. Não ligue para a opinião alheia

A pressão para se encaixar socialmente às vezes pode ser enorme, e muitas pessoas então simplesmente abandonam a dieta para não decepcionar um amigo ou ente querido. 

Essa jornada de autocuidado pode muitas vezes até ser solitária, o que acaba fazendo muita gente desistir por completo, até mesmo antes de colher os resultados.

O que eu posso te dizer é que, as pessoas que realmente se importam, entenderão que você está embarcando em uma jornada para melhorar algum aspecto do seu ser e respeitarão o que você está fazendo. 

Não perca seu tempo tentando provar o seu ponto de vista, justificando as suas escolhas, convencendo outras a te acompanharem. Simplesmente foque em você, porque isso não é egoísmo, é amor próprio e nada é mais importante do que manter seus passos na direção correta e também a sua paz interior. 

6. Foque na nutrição

Jejuns longos (acima de 24h) não são uma parte obrigatória da dieta carnívora. Você pode sim fazê-los, embora não sejam necessários. A maioria das pessoas estaria muitíssimo bem fazendo 1-3 refeições por dia (ex: café da manhã, almoço e jantar). 

Comer é um imperativo natural e biológico. Não precisamos fazer isso várias de 3 em 3 horas, mas também não há necessariamente algo “errado” em comer diariamente.

A maioria das pessoas faz jejum intermitente por 2 razões principais:

1. Controle de calorias

O jejum intermitente pode ser uma estratégia eficaz para o controle de calorias. 

A principal razão pela qual o jejum intermitente funciona para a perda de peso é que o ajuda a comer menos calorias. A menos que você compense comendo muito mais durante os períodos de alimentação, estará consumindo menos calorias.

Porém, especialmente em dietas ricas em proteína, você pode se manter em déficit calórico induzido pela saciedade. (*, *, *)

Em um estudo, aumentar a ingestão de proteínas de 15% para 30% das calorias fez com que mulheres com sobrepeso ingerissem 441 calorias a menos por dia sem restringir nada intencionalmente. (*)

A proteína reduz os níveis do hormônio da fome grelina, enquanto aumenta os hormônios redutores do apetite GLP-1, peptídeo YY e colecistocinina. Isso leva a uma redução automática na ingestão de calorias. (*, *, *)

​​Uma dieta rica em proteínas reduz a fome, ajudando você a comer menos calorias, permitindo que você perca peso, sem ter que forçar jejuns além do que seu corpo gostaria.

2. Autofagia

Autofagia é limpeza celular. Gosto de pensar nisso como limpar sua casa. Se você faz uma bagunça grande na sua casa todos os dias e ela vai se acumulando dia após dia, na hora de limpar vai demorar um pouco.

Uma casa bagunçada = uma dieta ruim. Quanto maior e mais frequente você bagunçar, mais sentido faz a limpeza com frequência, ou seja, jejuando.

Mas se você mantém sua casa limpa dia após dia, você realmente não precisa agendar grandes "dias de limpeza". A casa está limpa. Não há necessidade de forçar um jejum.

Em uma dieta exclusivamente carnívora, o jejum para fins de autofagia não é necessário. Você está alimentando o corpo com uma nutrição ideal. Você não está bagunçando a casa.

Recapitulando: Alimentos que não foram feitos para comer = casa bagunçada = autofagia forçada por jejum é provavelmente uma boa ideia. Alimentos que devemos comer = limpar a casa = autofagia auto regulada e natural por meio de "banquetes intermitentes". 

Sinta-se à vontade para jejuar da forma que achar mais conveniente para a sua rotina, preferências individuais e até mesmo se o faz por questões espirituais ou religiosas. Apenas não pense que é algo obrigatório.

Também não se esqueça se existem outras maneiras de ativar a autofagia sem jejuar. Exemplos: exercícios, saunas, exposição ao frio, boas noites de sono etc. (*, *, *, *)

Se achar que deve comer todos os dias e algumas vezes ao dia, fique tranquilo! Normalmente as pessoas fazem de 1-3 refeições ao dia quando aderem à dieta carnívora, o que por si só já é um padrão bem menor do que o que é visto em outras dietas tradicionais, onde as pessoas chegam a comer mais de 6 vezes ao dia e até acordam para atacar a geladeira na madrugada.

7. Entenda que a dieta é apenas uma parte da equação

Às vezes é fácil cair na armadilha de analisar cada problema relacionado à saúde e tentar atribuí-lo à dieta. 

A dieta é extremamente importante e eu sempre enfatizo seu efeito na sua saúde. No entanto, a dieta é apenas uma parte da equação.

Se você já está se alimentando bem, mas sente que a sua saúde ainda não está tão boa quanto gostaria, sugiro que comece a prestar mais atenção em coisas como sono, nível de atividade, exposição ao sol, relacionamentos, contato com a natureza etc. 

Dieta é somente parte da solução!

Conclusão

Se você está decidido a testar a dieta carnívora, seja paciente, entenda que haverá um período de adaptação, tenha expectativas realistas e não encare a dieta como mais uma abordagem temporária para "perder peso milagrosamente". Aliás, sugiro fortemente que você foque primeiro em resgatar a sua saúde, antes de perseguir resultados estéticos.

Se você quiser uma estrutura prática para seguir a dieta carnívora por 7 dias, confira o Guia que eu preparei para você.

No items found.
No items found.
No items found.