Introdução

Os vegetais nightshades pertencem à família das plantas com o nome latino solanaceae.

As solanáceas abrangem toda uma família de plantas com flores que inclui muitas frutas e vegetais populares que você provavelmente come diariamente. Algumas das solanáceas mais populares são: batatas, tomates e pimentões.

Este artigo analisa os efeitos na saúde para ajudá-lo a decidir se esses alimentos são adequados para você. Por serem uma parte comum de muitas dietas, é importante saber como podem afetá-lo.

O que são

A origem do nome nightshades não é clara, mas pode estar relacionada ao seu passado sombrio e místico. Há rumores de que algumas nightshades foram usadas anteriormente como narcóticos e alucinógenos. (*)

O nome implica perigo. Os alimentos da lista das nightshades podem parecer inofensivos, mas alguns podem causar sérios problemas de saúde.

Embora sejam "seguros" para comer em circunstâncias normais, algumas pessoas podem ser sensíveis a essas plantas. Para essas pessoas, o consumo pode vir com um conjunto desagradável de efeitos colaterais que podem variar de problemas digestivos a inflamatórios.

O problema é que esses efeitos negativos tendem a se desenvolver lentamente, após muitos anos de consumo persistente. Isso torna muito difícil apontar essas plantas como a causa, ou mesmo acreditar que seja possível que tenham causado o problema.

Por que você pode querer evitar Nightshades

Nightshades contém vários compostos químicos que podem ter efeitos negativos no corpo humano. Os piores criminosos - e aqueles com maior probabilidade de afetar sua saúde - são glicoalcalóides, saponinas, calcitriol, nicotina e capsaicina. (*)

Muitos desses compostos fazem parte do sistema de autodefesa inato da planta, protegendo-a de predadores e patógenos ao romper suas membranas celulares. Infelizmente, essas substâncias podem ter um efeito prejudicial semelhante em humanos, resultando em inflamação prolongada e sintomas indesejados. 

Glicoalcalóides

Estão lá para defender plantas contra bactérias, fungos, vírus e insetos.

Foi demonstrado que os glicoalcalóides, por exemplo, contribuem para o intestino permeável e a doença inflamatória intestinal (*).  Em grandes quantidades (por exemplo, em batatas verdes e germinadas), eles podem ser altamente tóxicos para humanos e animais. (*)

Os glicoalcalóides também inibem uma enzima chave necessária para a condução do impulso nervoso. De acordo com Georgia Ede, MD.: “Essas astutas armas químicas bloqueiam a enzima acetilcolinesterase, resultando na superestimulação do sistema nervoso em indivíduos sensíveis. A ansiedade é apenas um dos muitos efeitos colaterais neuropsiquiátricos documentados em humanos”. (*)

Um estudo de 2005 observou que normalmente leva mais de 24 horas para que o corpo elimine os glicoalcalóides. Por esse motivo, comer esses alimentos com frequência pode resultar no acúmulo de compostos tóxicos no corpo, fazendo com que os efeitos negativos sejam cumulativos ao longo do tempo. (*

Saponinas

Outros compostos vegetais problemáticos são chamados de saponinas. Como muitos outros fito-compostos, as saponinas são produzidas pelas plantas como um método de controle natural de pragas. O sabor amargo desses compostos torna a planta menos palatável para pássaros, insetos e humanos.

Pense nas saponinas como guarda-costas das plantas: esses fitoquímicos ajudam a manter as plantas saudáveis, um mecanismo de defesa para se proteger contra infecções e pragas.

As saponinas são antinutrientes (*) e podem interferir na absorção e digestão de glicose, proteína e vitaminas A, B12, D e E. (*, *, *)

Elas também podem se ligar a certos minerais como ferro, cálcio e zinco e diminuir a probabilidade de serem absorvidos. 

Semelhante às lectinas, as saponinas afetam o revestimento gastrointestinal, contribuindo para a síndrome do intestino permeável e distúrbios autoimunes. Elas são particularmente resistentes à digestão por humanos e têm a capacidade de entrar na corrente sanguínea e desencadear respostas imunológicas. (*, *

Calcitriol

Nightshades também contém calcitriol, um hormônio potente que, quando consumido em grandes quantidades, pode resultar em depósitos de cálcio nos tecidos moles do corpo, como tendões, ligamentos, coração e rins. (*, *)

Nicotina

A nicotina é um alcalóide encontrado na família das plantas solanáceas (solanaceae), predominantemente no tabaco, e em menor quantidade no tomate, batata, berinjela e pimentão.

Berinjelas (beringelas) têm uma concentração de 100 ng/g de nicotina. É a segunda maior, depois do tabaco, entre a família da erva-moura, onde os alcalóides da nicotina estão comumente presentes.

A nicotina é uma das substâncias mais nocivas e tóxicas já descobertas. As plantas usam a nicotina principalmente para afastar predadores. (*

Embora possamos todos acreditar que esse conteúdo de nicotina é insignificante, ainda é altamente possível que alguns indivíduos sejam sensíveis. Portanto, não é inteiramente apropriado simplesmente ignorá-los.

A nicotina é termoestável, sendo assim, é encontrada em alimentos preparados, como ketchup e batatas fritas.

Os efeitos dessas doses na saúde não são conhecidos, mas alguns cientistas se perguntam se o conteúdo de nicotina desses alimentos é o motivo de algumas pessoas descreverem que se sentem viciadas neles (batata, molho de tomate, ketchup).

Então, se você está devorando batatas (ou mesmo berinjela “saudável”) todos os dias, você pode acabar acumulando uma boa porção dessa toxina natural. Você sente que não pode desistir desses alimentos? Pode ser a nicotina.

Capsaicina

A capsaicina é o principal composto vegetal bioativo na pimenta malagueta, responsável por seu sabor picante único.

Ela pode ser um irritante muito potente e efeitos colaterais de capsaicina podem ocorrer em alguns indivíduos.

Comer capsaicina pode causar alguns efeitos colaterais, incluindo dor de estômago, diarreia, bem como suor, rubor na pele, coriza e lágrimas, irritação estomacal, náuseas, vômitos, dor abdominal, diarréia e pode ter efeitos indesejáveis ​​no sistema respiratório. (*, *, *)

Alguns alimentos que fazem parte das solanáceas

  • tomates,
  • tomatillos,
  • berinjela,
  • batatas,
  • goji berries,
  • quiabo,
  • tabaco,
  • pimentas (incluindo pimentões)
  • temperos de pimentas,
  • pepinos,
  • páprica.

Curiosidades: O tomate chegou à América do Norte no início do século XVIII.

Era chamada de “maçã do amor” e cultivada primeiramente como planta ornamental. (*) Isso significa que as pessoas o cultivaram porque é bonito, mas não o comiam.

A berinjela também foi cultivada pela primeira vez como planta ornamental, para ser decorativa.  (*)

Agora nos dias de hoje, é extremamente fácil ter uma overdose de nightshades na cultura ocidental.

Você é sensível aos nightshades? Quais os principais sintomas?

Na verdade, só há uma maneira de responder a essa pergunta. Você simplesmente tem que remover de sua dieta e ver se você se sente melhor. O melhor conselho é ouvir seu próprio corpo. 

Os principais sintomas de sensibilidade são: dor nas articulações, dor e tensão muscular, tremores musculares, insônia, erupções cutâneas, azia, desconforto estomacal, dificuldades digestivas, dores de cabeça, mudanças de humor, confusão mental, depressão.

As dietas de eliminação são ferramentas poderosas de aprendizado, porque ao remover um alimento de sua circulação, você elimina a resposta inflamatória crônica. Quando o alimento é reintroduzido, se você for sensível, terá uma reação aguda de curto prazo. É uma comunicação muito clara de seu corpo sobre quais alimentos são bons e quais não são.

Quem deve evitar?

Se alguém é saudável, com pouca inflamação no corpo, um sistema imunológico equilibrado e um trato digestivo forte e saudável, muitas vezes pode comer esses alimentos sem problemas. No entanto, essa não é a realidade da maioria das pessoas hoje.

Algumas pesquisas preliminares mostram que podem não ser as melhores opções para pessoas com certas condições crônicas, inflamatórias e autoimunes, como artrite, fibromialgia e síndrome do intestino irritável. 

O Dr. Childers, que conduziu um estudo de 20 anos sobre a conexão entre nightshades e a artrite, concluiu que 74-90% das pessoas que sofrem com dor e inflamação podem ter sensibilidade às nightshades. (*)

A necessidade ou não de evitar para sempre se resume ao nível de gravidade dos sintomas que você experimentou ao comê-los, bem como às suas condições de saúde atuais. 

Como você pode saber se são ruins para você? Se você tem alguma desconfiança, pode eliminá-los de sua dieta por algumas semanas. Em seguida, reintroduza-os e veja como você se sente. Se você se sentir pior após a reintrodução, terá pistas de que não caem bem em você.

Conclusão

A maioria das pessoas é encorajada a comer vegetais, inclusive os nightshades. No entanto, se a sua saúde não está como você gostaria, você pode considerar a eliminação, ao menos temporária, para avaliar quaisquer mudanças nos sintomas. Que tal testar a dieta carnívora ou baseada em animais e ver como você se sai?

Depois de já ter ajudado milhares de pessoas e nunca ter recebido 1 único feedback negativo sobre a dieta, eu me sinto muito confortável de te encorajar a ver essas melhorias acontecendo na sua vida também.

No items found.
No items found.
No items found.