Introdução

Em se tratando de qualquer dieta, o mais importante é respeitar as suas preferências pessoais e também a sua tolerância individual.

Apesar de todos esses alimentos poderem fazer parte de uma dieta carnívora, algumas pessoas terão que moderar o consumo, ou até mesmo excluir um ou mais itens de sua dieta.

Na dúvida sobre qualquer um dos alimentos que fazem parte da dieta carnívora, faça exames de sangue, bem como testes cutâneos e considere também a sua percepção sobre o consumo.

A autoexperimentação e o monitoramento atentos são ótimas ferramentas para sabermos o que de fato devemos consumir.

Ovo

Prós: Os ovos estão entre os alimentos mais nutritivos que você pode encontrar para comprar. Eles são uma fonte natural de muitos nutrientes, incluindo proteínas de alta qualidade, vitaminas e minerais.

Os ovos são naturalmente ricos em vitamina B2 (riboflavina), vitamina B12, vitamina D, selênio e iodo. Eles também contêm vitamina A e várias outras vitaminas B, incluindo folato, biotina, ácido pantotênico e colina, e outros minerais essenciais e oligoelementos, incluindo fósforo.

Além disso, os ovos são baratos, têm um sabor incrível, vão bem em todas as refeições e são muito saciantes.

Outra vantagem é que existem cerca de 71,5 calorias em um ovo grande, o que torna o ovo um alimento relativamente de baixa caloria, perfeito para compor dietas voltadas para o emagrecimento.

Contras: A alergia ao ovo de galinha está entre as alergias alimentares mais comuns em bebês e crianças pequenas, mas é menos comum em crianças mais velhas e adultos. (*, *)

Os ovos são um dos alérgenos alimentares mais comuns. Pessoas com alergia a ovos de galinha também podem ser alérgicas a outros tipos de ovos, como ganso, pato, peru ou codorna.

Tanto a gema quanto a clara do ovo contém proteínas que podem causar alergias, mas a alergia à clara do ovo é mais comum. (*)

As reações mais comuns são: inflamação da pele ou urticária, congestão nasal, coriza e espirros (rinite alérgica), sintomas digestivos, como cólicas, náuseas e vômitos, sinais e sintomas de asma, como tosse, respiração ofegante, aperto no peito ou falta de ar. (*, *)

Ainda, algumas pessoas não são alérgicas aos ovos, mas intolerantes. Embora os sintomas associados à intolerância ao ovo sejam menos extremos do que uma reação alérgica, eles ainda podem ser muito perturbadores. Os sintomas mais comuns incluem: inchaço, dores de cabeça, eczema, acne, coceira, erupções cutâneas, cansaço, fadiga, náuseas, indigestão.

Ao tentar determinar se esse é o caso, lembre-se que os sintomas da intolerância ao ovo podem ser atrasados e aparecer em até 72 horas após o consumo do alimento.

Embora os sintomas de intolerância possam ser desconfortáveis, eles normalmente não são perigosos. Já uma alergia ao ovo pode causar sintomas graves e às vezes fatais. (*)

Agora se você não puder consumir ovos, fique tranquilo(a), pois é possível continuar na dieta carnívora, apesar dessa limitação.

Queijo

Prós: O queijo é feito principalmente de leite, seja de vacas, ovelhas, cabras, búfalos ou uma mistura desses leites. É uma fonte saudável e deliciosa de muitos nutrientes. É uma ótima fonte de cálcio, gordura e proteína. Ele também contém grandes quantidades de vitaminas A e B12, junto com zinco, fósforo e riboflavina.

O queijo pode ser melhor tolerado do que o leite em algumas pessoas porque tem baixo teor de lactose, um tipo de açúcar que não é facilmente digerido se as pessoas não tiverem a enzima para quebrá-lo.

Contras: Queijos macios e frescos, como cottage, ricota e cream cheese, podem desencadear reação em uma pessoa com intolerância à lactose. No entanto, queijos mais duros, como parmesão, gouda, suíço, cheddar, têm níveis mais baixos de lactose. Pessoas com intolerância à lactose podem descobrir que uma pequena quantidade desses queijos pode ser consumida com segurança.

Se a questão for alergia ao leite, o indicado é que os queijos sejam evitados. A alergia ocorre por causa de uma reação imunológica anormal a certos gatilhos, como a proteína do leite, seja caseína ou soro de leite.

Se você tiver uma reação após comer queijo, tente distinguir entre um problema de intolerância à lactose (que vem com sintomas como dor e inchaço, diarreia, cólicas, gases, azia, vômitos, náusea, dor de cabeça) e uma alergia (os sinais incluem urticária, coceira na pele, vermelhidão, tosse, chiado, falta de ar, inchaço da glote). (*)

Ainda, um outro ponto contra é que o queijo é um alimento rico em calorias. Dependendo da variedade de queijo que você come, você está obtendo cerca de 100 calorias a cada 28 gramas. Pessoas que estão buscando o emagrecimento, devem ficar atentas para que o consumo não seja exagerado.

Apesar do queijo ser delicioso, se no seu caso for necessário não consumir, isso não o(a) impede de continuar na dieta carnívora.

Leite

Prós: O leite contém uma grande variedade de nutrientes, incluindo vitaminas, minerais, proteínas, gorduras saudáveis ​​e antioxidantes. 

O leite é uma fonte rica em proteínas de qualidade que contém todos os nove aminoácidos essenciais.

Ainda, o leite é uma das melhores fontes de cálcio biodisponível. O cálcio encontrado no leite tem uma biodisponibilidade muito maior do que as fontes vegetais. Simplificando, isso ocorre porque as fontes vegetais de cálcio contêm vários antinutrientes, como o ácido fítico, que podem reduzir a taxa de absorção.

Contras: Embora o leite possa ser uma boa escolha para alguns, outros não conseguem digeri-lo ou optam por não consumi-lo. Muitas pessoas não toleram o leite porque não conseguem digerir a lactose, um açúcar encontrado no leite e nos laticínios. Curiosamente, a intolerância à lactose afeta cerca de 65% da população mundial (*).

Se os indivíduos com intolerância à lactose consumirem produtos lácteos contendo lactose, eles podem sentir dor abdominal, distensão abdominal, flatulência, náusea, diarreia etc.

A maioria das pessoas com não persistência de lactase retém alguma atividade da lactase e pode incluir quantidades variáveis ​​de lactose em suas dietas sem apresentar sintomas.

Frequentemente, os indivíduos afetados têm dificuldade em digerir o leite fresco, mas podem comer certos laticínios, como queijo ou iogurte, sem desconforto. Esses alimentos são feitos por meio de processos de fermentação que quebram grande parte da lactose do leite.

Além da questão da intolerância, existem pessoas que possuem alergia ao leite. A alergia ao leite é uma resposta anormal do sistema imunológico do corpo ao leite e aos produtos que contêm leite.

Os sinais e sintomas de alergia ao leite variam de leves a graves e podem incluir respiração ofegante, vômitos, urticária e problemas digestivos. A alergia ao leite também pode causar anafilaxia - uma reação grave com risco de vida.

O leite não é essencial na dieta carnívora, portanto, se você não puder ou optar por não consumi-lo, fique tranquilo(a).

Iogurte

Prós: O iogurte fornece quase todos os nutrientes de que seu corpo precisa. É especialmente rico em cálcio, vitaminas B e oligoelementos. Ainda, especialmente o iogurte grego, é muito rico em proteínas. 

Os melhores iogurtes para a sua saúde contêm poucos ingredientes e nenhum açúcar adicionado. Eles devem incluir leite, as culturas bacterianas usadas para transformar o leite em iogurte, e nada mais. 

Contras: Algumas pessoas precisam ter cuidado com a ingestão de iogurte, pois pode causar efeitos adversos, especialmente em pessoas com intolerância à lactose ou alergia ao leite.

No entanto, algumas pessoas com intolerância à lactose podem tolerá-lo. Isso ocorre porque parte da lactose é decomposta durante a produção e os probióticos podem ajudar na sua digestão. (*)

Se você é intolerante à lactose, pode ser uma questão de tentativa e erro determinar se comer iogurte funciona para você.

Os produtos lácteos contêm caseína e soro de leite, proteínas às quais algumas pessoas são alérgicas. Nesses casos, o leite desencadeia uma reação que pode variar de urticária e inchaço a anafilaxia com risco de vida. Por esse motivo, é melhor evitar iogurte se você tiver alergia ao leite.

Assim como acontece com o ovo, queijo e leite, se você optar por não consumir iogurte em sua dieta carnívora, ainda assim poderá seguir na dieta.

Mantenha um diário alimentar

Na dúvida sobre determinado alimento? Mantenha um diário alimentar.

Um diário alimentar pode incluir informações como:

  • tudo que você come e bebe;
  • a data, hora e tipo de problemas experimentados.

Manter um diário alimentar permite que se encontre uma conexão entre alimentos e sintomas específicos.

Conclusão

Na hora de escolher os alimentos que vão compor a sua dieta carnívora, leve em consideração diagnósticos que você já teve e se for o caso faça testes.

Se não houver risco de vida envolvido, considere seguir a dieta com e sem os alimentos que você possui desconfiança que possam estar impactando negativamente a sua saúde. 

Ovos, queijos, leite e iogurte podem fazer parte da dieta de algumas pessoas, mas terão que ser excluídos por outras ou mesmo consumidos em menor quantidade. 

Minha dica é, aguce a sua percepção para prestar atenção a como o seu corpo reage aos alimentos consumidos e aos poucos vá montando a sua dieta carnívora com base no feedback recebido pelo seu corpo.

No items found.
No items found.
No items found.